terça-feira, 26 de abril de 2011

Estilo Punk


O estilo punk surgiu em 1975 como mais uma manifestação juvenil semelhante aos da década de 50 e 60: o objetivo do movimento era a afirmação de um estilo, sem envolver com questões éticas, políticas ou sociais. O estilo musical punk rock surgiu nos Estados Unidos com a banda The Ramones, que se baseou no rock and roll, com músicas simples e curtas, no máximo com três ou quatro acordes. 

Na Inglaterra, o espírito renovador do punk rock se mesclou a uma situação de tédio cultural e decadência social, provocando o surgimento do punk propriamente dito, com estilo visual grosseiro, humor ácido, sarcasmo, agressividade e pessimismo. 

Atualmente, o conceito de punk é um pouco diferente do punk “clássico”. De fato, entre os membros da tribo não existe agressividade e pessimismo, características atribuídas às tribos surgidas Inglaterra. 

Os punks geralmente usam calças jeans justas, rasgadas, jaquetas de couro, coturnos, tênis converse, correntes, corte de cabelo moicano ou cabelo um pouco comprido. A moda punk contrasta com a moda vigente e sempre apresenta elementos contestadores aos valores aceitos pela sociedade. Entre as características ideológicas podemos citar o anti-nazismo, o amor livre, a liberdade individual, o autodidatismo e o cosmopolismo.


As variações dos elementos das roupas punk e o surgimento de ramificações de estilo estão associados, na maioria dos casos, ao surgimento de novos sub-gêneros musicais, influências ideológicas e de elementos de outras culturas que em determinados momentos dividiam mesmo espaço com o punk. A idéia popularmente difundida e equivocada de que todos os elementos do estereótipo punk foram "planejados" cuidadosamente como simbolismo da ideologia libertária/anarquista -por exemplo o coturno, originalmente trazido a cultura punk por influência da cultura skinhead, que é comumente e erroneamente justificado como símbolo de repúdio ao Exército- é com freqüência aceita entre novos punks que acabam desta forma propagando e conseqüentemente agregando pouco-a-pouco um sentido simbólico que não existia anteriormente à moda punk.

Enquanto o estilo punk desligado de um movimento costuma utilizar com liberdade os elementos, combinando peças intuitivamente e utilizando outros itens que não fazem parte do estilo clássico, os membros dos diversos grupos do movimento punk consideram fundamental algumas combinações tradicionais de elementos, uma vez que elas identificam o grupo (e conseqüentemente a ideologia) específico que o indivíduo pertence.

Em diversos países, incluindo o Brasil, a roupa é na maioria das vezes o elemento que desencadeia as brigas de rua entre gangues, membros de grupos divergentes do movimento punk e outros movimentos que repudiam o punk. A combinação arbitrária de elementos costuma não ser bem vista por punks de gangues e sub-grupos do movimento pois é interpretada como uma demonstração de ignorância sobre os costumes, a aparência e as ideologias punk ou fruto de uma tentativa da cultura vigente se apropriar desse estilo. Este desentendimento pode culminar no desprezo, ridicularização ou hostilidade para com o indivíduo ou, nos casos dos grupos violentos, na coerção, furto de peças e agressão.

Verme Acha: O Estilo Punk é muito variado e cheio de vertentes, mas não podemos nos esquecer que eles trouxeram vários tipos de acessórios que hoje são usados por todos com alguma variação ou não. Os cintos tachados por exemplo muito atribuído ao Estilo Emo (estilo extinto hoje) foi trazido a moda pelos Punks, os cabelos coloridos e rebeldes começaram com eles, muitos outros estilos apenas copiaram isso para dentro do seu estilo muitas vezes se apropriando como sendo idéia deles. O Estilo Punk é muito utilizado como base para outros estilos, por ser um estilo muito variado e com muita informação. Eu particularmente curto o estilo punk, e sinceramente admiro quem o utiliza.  



Por Verme: @Milena_Says

13 comentários:

  1. Olá!
    estou seguindo :]
    mto conteudo bom por aqui, parabens.
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá me add ai welder_zika@yahoo.com

      Excluir
  2. Seja Bem-vinda aos @vermesdamadruga Babi! Sim, aqui você terá muito conteúdo!!!

    ResponderExcluir
  3. Punk's not dead! \m/
    Ótimo post como sempre Mila!
    beijos :***

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto, o problema é que o punk abraça tanta coisa, que é impossivel escrever um texto de maneira completa sobre essa sub cultura, na verdade há livros e analises escritos por antropólogos e sociologos sobre essa "tribo urbana", e nem mesmo eles não são completos ou pelo menos um espelho fiel da realidade, por que não a como analisar o punk, voce tem que viver o punk, em cada cidade há uma cena em particular com suas caracteristicas particulares que são diferentes de outras cidades, há varias sub divisões ideologicas dentro do punk, punks comunistas, punk anarquistas, punks ativistas ambientais e por aí vai. No geral só se póde generalizar duas coisas quando se trata de punks: postura anti-capitalista e postura anti-fascista.
    Quanto a simbologia punk, eu particularmente gosto disso no punk, eu gosto de ver a cara das pessoas quando me perguntam em tom de zombaria:
    Esse moicano ai? tu fez por causa do neymar?
    Eu respondo quando estou com paciencia, exatamente isso: Cara, eu abomino futibol, acho que é o opio do povo brasileiro, se a população desse metade da importancia que da ao futibol para a politica, não viveriamos a merda que vivemos hoje, no entando vc reclama dos que estão no poder, mas não é capaz de se informar sobre o assunto, ninguem sabe quais são os tres poderes do Brasil mas a escalação do Avaí todos sabem, pra mim ter o futebol como prioridade é a definição de alienação. Quanto ao meu moicano, eu uso como um simbolo de resistencia, afinal os indios moicanos (e é dai que vem esse penteado) foram exterminados pelos colonizadores europeus sem jamais se renderem ao invasor que tomava suas terras e os matava, resitiram, lutaram e foram extintos mas jamais se curvaram, por isso uso meu moicano bem alto e colorido para que todos vejam meu respeito aos indios e que eu estou pronto para a guerra, jamais me curvarei, e morrerei lutando pelo que eu acredito!
    É engraçado ver os olhos arregalados de quem tenta tirar onda com um punk. huahuahuah

    ResponderExcluir
  5. MARDEN HAHA
    ESSE É MEU PRIMO PUNK
    QUE ORGULHO!
    BEJO PRIMO!

    ResponderExcluir
  6. Uaallll!!! Marden tem total razão, por isso só deu uma pincelada no que são os punks, mas pra conhecer mesmo vc tem q viver o estilo... e como digo eu admiro muito os punks =D
    Comentário perfeito, fui muito gratificante ler...
    Valeu Marden =D

    ResponderExcluir
  7. gosto do estilo punk.acho as roupas que eles usam legal.mas alguns assustam um pouco

    ResponderExcluir
  8. iae tb adde eu ali no msn leo_lost18@live.com

    ResponderExcluir
  9. é trouxa, mas essa fase já era, essa merda de politizar já era, vcs perderam otários, viva o capitalismo que é do qual vc se alimenta punk de merda

    ResponderExcluir
  10. Algumas informações do texto estão incorretas. Não foi em 1975 pontualmente que nasceu o punk. Esse termo é usado na língua inglesa há muito tempo. Contudo como cena musical veio se desenhando nos USA a partir dos anos 70 com bandas como The Stooges, NY Dolls, Television, Ramones etc. Como cena juvenil realmente ganhou força a partir da explosão de bandas punk em 1977 na inglaterra se alastrando para todo globo em seguida. E como cultura de resistência ou contracultura se estabeleceu definitivamente a partir dos anos 80, aí sim altamente consciente como movimento e muito politizada sim.

    ResponderExcluir
  11. Existe sim muitas idéias que são própria do movimento punk. A principal delas é a adoção da posição política anarquista, que nada mais é que a negação da legitimidade do governo representativo, ou por outras palavras, a crença que os seres humanos teriam o direito a autogestão, portando toda imposição do estado seria um abuso.

    O movimento punk prima pelo diálogo e pela liberdade, inclusive de expressão, o que não significa que esse ignorante que postou um comentário logo acima não teria uma resposta em termos de ação direta caso não estivéssemos em ambiente de rede e sim na rua, se é que me entendem, pois a liberdade não extingue o respeito pelos outros e demanda responsabilidade pelos seus atos.

    ResponderExcluir
  12. Só para não deixar dúvidas, tenho que especificar que o sujeito que chamei de ignorante foi o que postou dia 23 de julho como anônimo, pois os posts do dia 11 de agosto são meus. Além dos mais o sujeito parece desconhecer que o fato de viver em um sistema econômico capitalista não pressupõe que ele exerça poder "lato senso" sobre o indivíduo. O poder coercitivo é o mais trivial dos poderer. O perigo está no poder subjetivo exercido na forma de poder simbólico (cultural, social, religioso, etc), que aprisiona a mente ao invés do corpo. O que são materialidades em relação a força do pensamento? Que tenho eu contigo, para que aches que devo pensar como tu?

    ResponderExcluir